• SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DO ESTADO DE SERGIPE

Oposição anuncia "paralisação política" contra reforma da Previdência

Objetivo é obstruir todas as votações para fazer governo Temer retirar PEC 287 de pauta; matéria tem placar incerto

13/12/2017

Os deputados federais contrários à reforma da Previdência vão obstruir todas as votações na Câmara Federal partir desta terça-feira (12). A decisão foi comunicada no período da tarde, durante uma entrevista coletiva concedida à imprensa na Casa.

O líder da minoria, José Guimarães (PT-CE), disse que a iniciativa é uma "paralisação política" para protestar contra a reforma. "Nós envidaremos todos os esforços para pavimentarmos uma obstrução dura, segura para evitarmos a votação", completou. 

De acordo com o líder, a decisão foi tomada pelo grupo a partir de um diálogo com segmentos da sociedade, como centrais sindicais e movimentos populares.

A ideia é massificar a pressão contra o Planalto, para desidratar ainda mais a base de apoio que defende a reforma. A matéria tramita na Câmara com o nome de Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287.

Considerada a pauta mais impopular do Planalto, a PEC encontra resistência dentro da própria tropa de choque do governo. Por conta disso, a votação tem sofrido constantes adiamentos.

Para aprovar o texto, são necessários 308 votos. Na semana passada, o governo chegou a dizer que espera o apoio de cerca de 330 parlamentares, mas o número é contestado pela oposição. De acordo com José Guimarães, os cálculos indicam que os votos da base não chegariam a 241. Já a oposição projeta um total de 270 votos contra a reforma.

A instabilidade em torno do possível placar tem tido forte ressonância na agenda parlamentar, que está voltada especialmente para a PEC. "Não há risco de eles terem os 308 votos e o Congresso não pode ficar nesta paralisia esperando a boa vontade de quem quer que seja", criticou o líder.

A líder do PCdoB na Câmara, Alice Portugal (BA), destacou que a obstrução da pauta está em sintonia com os desejos da sociedade. "É um projeto que não é da vontade da nação brasileira, por isso a nossa obstrução é consciente", ressaltou. 

A oposição informou que pretende voltar à normalidade dos trabalhos somente se o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), desistir de colocar o texto em votação este ano. A expectativa é de que a PEC perca o apoio de mais deputados se ficar para 2018, por ser um ano eleitoral. Hoje a oposição projeta um total de 270 votos contra a reforma.


Veja também

Ao intervir no Rio, Temer bota segurança no centro da eleição

Ao intervir no Rio, Temer bota segurança no centro da eleição

19/02/2018 - Michel Temer quer a reeleição, para defender o legado de seu governo, como tem dito por aí o ministro do Esporte, Leona...

Servidores terão  13º salário parcelado

Servidores terão 13º salário parcelado

08/11/2017 - Os servidores estaduais terão, pelo terceiro ano seguido, o 13º salário parcelado em seis vezes. Os deputados estaduais a...

REFORMA TRABALHISTA Centrais pedem suspensão da sessão do TST sobre revisão das Súmulas

REFORMA TRABALHISTA Centrais pedem suspensão da sessão do TST sobre revisão das Súmulas

05/02/2018 - As centrais sindicais pedem ao presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra Martins Filho, que cancele ou suspend...

Relatora de decreto quer mais recursos para o Rio e descarta reforma previdenciária: “Esquece”

Relatora de decreto quer mais recursos para o Rio e descarta reforma previdenciária: “Esquece”

19/02/2018 - Contrária à reforma da Previdência, a deputada Laura Carneiro (PMDB-RJ) foi escolhida relatora do decreto pres...

Você já é um filiado do Sinpol-SE?